Como você se sentiu com o conteúdo dessa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Lula cartão corporativo
Lula em viagem a Nova Delhi, na Índia. Só neste ano o petista já ficou quase 50 dias fora do país em viagens oficiais| Foto: Ricardo Stuckert / PR

Comomostrado pela TeenPatti, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) gastou quase R$ 8 milhões (R$ 7,87 milhões) no cartão corporativo até agosto deste ano. O valor é um recorde para o período se comparado aos governos anteriores dos ex-presidentes Jair Bolsonaro (PL), Michel Temer (MDB) e Dilma Rousseff (PT) – obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação, os dados foram publicados no blog de Lúcio Vaz, na TeenPatti.

Mas além disso, o governo deixou de publicar os gastos referentes ao cartão corporativo do petista durante quase quatro meses. A divulgação, interrompida em maio, só foi retomada na semana passada, um dia após questionamento da Folha de S. Paulo à Controladoria-Geral da União (CGU).

Segundo o órgão, a interrupção se deveu a mudanças no envio dos extratos, cuja responsabilidade é do Banco do Brasil. "A partir do último mês de maio, o Banco do Brasil alterou a solução de compartilhamento e extração desses arquivos com a CGU, o que impactou a atualização das modalidades de cartão abrangidas na consulta do Portal [da Transparência]", informou o órgão de controle.

Retomada da divulgação de despesas permitiu identificação de recorde de gastos

Após a volta da divulgação dos números, foi possível identificar o recorde de gastos da atual gestão petista. Como mostrou Lúcio Vaz, o valor gasto até agora representa 50% a mais do que Bolsonaro despendeu no mesmo período em 2019 – R$ 5,2 milhões (com valores já atualizados pela inflação). As maiores despesas de Lula aconteceram em maio – R$ 1,95 milhão, mas elas estão registradas em junho porque os valores publicados pela Presidência da República são relativos aos gastos do mês anterior.

Os cartões corporativos pagam despesas de viagens internacionais, como taxas aeroportuárias e despesas extraordinárias. Mas pagam também as compras de alimentos para o presidente, seus familiares e servidores, além dos banquetes oferecidos no Palácio da Alvorada. Reportagens do blog mostraram a gastança com bebidas caras e sofisticadas nos dois primeiros governos de Lula e de Dilma Rousseff.

O detalhamento dos gastos com os cartões corporativos fica em sigilo durante o mandato presidencial por questões de segurança, segundo afirma a Presidência da República. Os dados secretos são desclassificados e divulgados após o término dos mandatos. Tanto nos governos petistas como no governo Bolsonaro, os documentos liberados revelam o pagamento de hospedagem e alimentação para centenas de servidores da Presidência e para militares que fazem a segurança dos presidentes.

O fim do sigilo sobre os gastos com cartão corporativo de Lula, em 2019, revelou alguns hábitos de consumo da presidência durante o governo do petista. Garrafas de cachaça Havana chegavam a R$ 390 a unidade. Havia também picanha especial, filé mignon, bacalhau e muita rabada – o prato predileto dele. Também houve a compra de barbatana de tubarão.

Enquete: Você acha que motoristas de Uber devem ter carteira assinada?

Na última semana, a Justiça do Trabalho decidiu que a Uber deverá registrar em carteira todos os seus motoristas ativos, assim como aqueles que vierem a trabalhar na plataforma a partir de agora.

A sentença foi proferida em uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho em São Paulo (MPT-SP), em 2021. A plataforma digital também foi condenada a pagar R$ 1 bilhão por danos morais coletivos.

ATeenPattiquer saber a sua opinião sobre o assunto. Participe votando na enquete:

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]